Metaverso: realmente vamos querer viver imersos em uma realidade virtual?

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Amanda Costa Chief Kindness Officer na Escola do Caos

Reggie Fils-Aimé, Ex CEO da Nintendo, em sessão no SXSW 2022

A sessão mais disputada do segundo dia de SXSW, o maior festival de inovação do mundo, que acontece em Austin, no Texas, foi a de Reggie Fils-Aimé, ex presidente e diretor de operações da Nintendo of America. Ele falou sobre como as empresas podem ser mais inovadoras, sobre sua descrença no metaverso e a importância da Cultura para as organizações. Gostei demais dessa conversa, por isso resolvi trazer aqui para vocês.

Aos 60 anos, o executivo super reconhecido como disruptor e inovador foi o primeiro afro-americano a ocupar o cargo de presidente da Nintendo of America e, ao entrar no tema inovação, disparou que o Facebook não é inovador, o que quebrou o silêncio na platéia de mais de 1000 pessoas. Ele explicou que o Facebook lançou coisas realmente interessantes como os óculos, como o instagram e também tem sido seguidor rápido das ideias de oturas pessoas. Reggie diz que é inerente à companhia de Zuckerberg não ser inovadora e que são uma plataforma social muito original e ponto. Ele explicou para ser inovadora, uma empresa precisa realmente pensar primeiro no consumidor e disse que o Facebook pensa primeiro em receita de publicidade, que, aliás, representa 98% da receita. Mas, para inovar, é preciso pensar no cliente, trazer ideias novas e diferentes que facilitem a vida do consumidor e isso precisa permear a cultura da empresa. A cultura precisa ser uma cultura de inovação.

“Qualquer coisa que você faça dentro de uma empresa inovadora, se sua área é contabilidade, desenvolvimento de produtos, marketing, você precisa se desafiar a fazer coisas de maneiras diferentes em vez de fazer o mesmo de sempre ou copiar ideias de outra pessoa”

O Keynote Speaker do segundo dia de SXSW reconheceu que a Meta – o novo nome do Facebook – está se inclinando para a RV – realidade virtual, mas questionou se realmente nós vamos querer viver, trabalhar e brincar com um fone de ouvido e imersos em mundos virtuais por uma parte significativa do nosso dia. Ele acredita mais em RA – Realidade aumentada e usou como exemplo o Pokemon GO. “Acho que a ideia de usar um conjunto de lentes e óculos e usá-los em diferentes pontos do seu dia para interagir com uma experiência digital, no final, é mais atraente.”

Sobre o Metaverso, que, aliás, é uma das palavras mais ouvidas pelos corredores do SXSW, junto com Web 3, NFT’s e Blockchain, Reggie enxerga como a nuvem de cinco anos atrás ou mesmo a internet de 20 anos atrás.

“Para mim, o Metaverso é um espaço digital onde você interage com seus amigos. Acredito que elementos do Metaverso já existem, como o Fortnite ( vídeo game). Mas minha definição, a maneira como vejo é diferente do que as outras pessoas estão falando. Eu não sou um comprador dessa ideia.”

Para ele, em um futuro breve, o entretenimento vai misturar mundo físico e digital. Com diferentes tipos de jogos altamente atraentes. A Epic, segundo Reggie, é uma empresa que está inovando e fazendo coisas realmente diferentes, embora ainda seja uma empresa pequena. Eles estão lançando seus jogos, comprando estúdios e tem um mecanismo de jogo que vem sendo usado em filmes. Dentro de um ano ou dois será possível ver o resultado deste trabalho, empresas como esta estão falando com um público mais jovem, que será o consumidor do futuro.

“A cultura de uma empresa é o ar que os colaboradores respiram”

Depois de mandar o sincerão quanto à sua visão sobre o Facebook e comentar sobre como enxerga o Metaverso, Reggie deu uma verdadeira aula sobre Cultura organizacional em pouquíssimas palavras. Ele disse que a Cultura é o ar que os colaboradores respiram, é como as pessoas agem quando os executivos não estão na sala. E alertou: quando uma empresa tem uma Cultura ruim, a liderança precisa se responsabilizar por isso.

Veja Mais Notícias

Qual é o benefício mais desejado pelos colaboradores do seu mercado?

Quantas empresas o oferecem? Há um gap de oportunidade entre os benefícios desejados e os oferecidos?

A resposta para essas perguntas pode criar um baita diferencial competitivo na hora de atrair e reter talentos. Mas como obtê-las? Por meio do maior e mais completo estudo do mercado de benefícios, é claro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

VANTAGENS DE SER UM ASSOCIADO!

Associe-se à ABTD/PR – Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento do Paraná, que há mais de 23 anos atua no desenvolvimento de pessoas.

Faça sua verba de treinamento valer mais!

Preencha o formulário e receba uma proposta para se tornar um associado à ABTD/PR!