Liderança Sherpiana: A mais ousada das competências de liderança.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Crédito da foto Karina Oliani e Pemba Sherpa no cume do Everest

Um alpinista que deseja escalar o Monte Everest sabe que precisa de um guia. E não pode ser qualquer guia. A montanha de 8.849 metros tem o ponto mais alto do planeta e possui um legado de expedições malsucedidas, com corpos até hoje não resgatados. Sabendo disso, o/a alpinista procura os melhores guias da região para contratar, mitigando riscos e tendo a certeza de que serão bem assessorados.

Escolher um excelente mentor para esta jornada é crucial para chegar ao topo e voltar vivo.

Na base da montanha do Everest vivem os Sherpas, um povo considerado Herói do Himalaia, e que alguns dizem serem geneticamente preparados para escalar montanhas e superar qualquer tipo de adversidade. São os Sherpas que interpretam as condições do tempo, conhecem os caminhos mais adequados para se alcançar ao topo, sabem onde os perigos residem, e até mesmo como combater e sobreviver às adversidades.

Ao chegar ao topo da montanha, são os Sherpas que batem a fotografia do alpinista. E muitas vezes, sequer aparecem ao lado deles na foto.

Uma nova competência passa a ser discutida do mundo corporativo: A Liderança Sherpiana.

Líderes sem vaidade e orgulho que são verdadeiros servidores do desenvolvimento de sua equipe. O alcance das metas e a entrega do resultado é fundamental, mas nada disso fará sentido para os Líderes Sherpas se sua equipe não crescer vertiginosamente. É como se pegássemos um helicóptero e fossemos direto para o topo. Alcançaríamos o resultado mas não haveria desenvolvimento.

Imagine que ao ser promovido à líder você ouça de seu chefe: “Parabéns, você acaba de ser promovido a um cargo de liderança. Esperamos que você alcance os resultados e faça sua equipe chegar tão longe quanto você.” Não é algo tão ouvido nos dias atuais.

Mas quão perto nossos líderes estão desta Liderança Sherpiana? Teriam eles/elas condições de dedicar tempo e energia consideráveis para seus times alcançarem os postos mais altos pirâmide hierárquica? Estariam eles/elas preparados para fazer sacrifícios pessoais para que seus times conquistem os mais altos postos de uma empresa abrindo mão do ego e da vaidade?

Para se tornar um(a) Líder Sherpa é preciso mudar radicalmente a maneira de se ver.

Em primeiro lugar considerar-se um instrumento para antecipar o desenvolvimento da equipe. Dedicar tempo para se autodesenvolver e compartilhar o que sabe o tempo todo. É preciso ser vulnerável para admitir que é um eterno aprendiz e ao mesmo tempo estimular que sua posição de líder não seja vista como alguém que tem todas as respostas, mas sim, excelentes perguntas.

Para se tornar um Líder Sherpa é preciso saber olhar profundamente nos olhos dos colaboradores e entender as “montanhas da vida” que desejam escalar. É exigir que as pessoas saibam aguardar quando uma avalanche se desenha. É ensinar a usar as ferramentas adequadas, o ritual de se preparar sempre, e acima de tudo, respeitar a montanha, que aqui, chamo de Cultura Corporativa.

Um líder Sherpa aprende que levar o maior numero de pessoas para o topo da montanha é muito mais valoroso do que ele mesmo chegar lá.

O prazer da individualidade dá lugar à devoção a entrega total. É a liderança regenerativa, praticamente indulgente. Por isso, aqui vai meu último conselho para líderes que desejam se tornar Sherpas Corporativos. Sinta prazer em liderar. A subida da montanha precisa ser incrível, para que a foto no topo seja apenas um registro. Nada pode ser melhor do que acordar todos os dias e escalar uma montanha. Com pessoas o máximo possível de pessoas seu lado.

Crédito da foto: Karina Oliani e Pemba Sherpa no cume do Everest. – Foto: Arquivo Pessoal/Karina Oliani

Alberto Roitman é Chief Chaotic Officer da Escola do Caos, autor dos livros Você é o que Você entrega e A Última Chance. Podcaster no Caos Corporativo (Spotify), sócio do Armazem e LinkedIn Creator. É um aprendiz do caos e adora escalar montanhas todos os dias.Denunciar

Publicado por

Alberto RoitmanTOP 5 RH Influencer Brasil / LinkedIn Creator / Chief Chaotic Officer na Escola do Caos / Co-founder no Armazém do Caos / Autor dos livros Você é o que você entrega e A última chance / Podcaster no Caos CorporativoPublicado

Qual a competência de liderança mais relevante da atualidade? Neste artigo compartilho contigo insights sobre a Liderança Sherpiana. Nossos líderes estariam prontos para desenvolver esta competência? Quão perto/longe estão dela?  

Vivemos um mundo onde a maior parte dos líderes é cobrada por resultados dos mais diversos. Entregar mais, com a máxima qualidade, no menor espaço de tempo. Mas também vivemos um mundo onde as relações humanas passam a ganhar entornos cada vez mais fortes. Como já dizia Rohit Bhargava, devemos viver em um mundo com o Human Mode ativado.

Neste artigo te sugiro alguns comportamentos mais do que necessários para incorporarmos esta competência em nossas vidas. Afinal, escalamos todos os dias um Everest. E liderar com prazer, é muito melhor.

Veja Mais Notícias

Qual é o benefício mais desejado pelos colaboradores do seu mercado?

Quantas empresas o oferecem? Há um gap de oportunidade entre os benefícios desejados e os oferecidos?

A resposta para essas perguntas pode criar um baita diferencial competitivo na hora de atrair e reter talentos. Mas como obtê-las? Por meio do maior e mais completo estudo do mercado de benefícios, é claro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

VANTAGENS DE SER UM ASSOCIADO!

Associe-se à ABTD/PR – Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento do Paraná, que há mais de 23 anos atua no desenvolvimento de pessoas.

Faça sua verba de treinamento valer mais!

Preencha o formulário e receba uma proposta para se tornar um associado à ABTD/PR!